2 de junho de 2013

DICA DE LIVRO - Catarina, a Grande, Retrato de uma Mulher


A Alma feminina em todos os tempos encerra uma sabedoria e uma forma de lidar com o mundo que não é sem méritos o fato de que algumas escrevem seus nomes na História. As contribuições que Catarina deixou para a Rússia foram inúmeras. Abriu a Rússia para a Europa Ocidental, trouxe um legado cultural inestimável fundando a maior galeria da Europa, Hospitais, Escola e Orfanatos. Desenvolveu uma cultura com forte influência sobre Pushkin, Lermontov, Tolstoy, Dostoiévski, Tchaikovsk, Stravinsky entre outros. A autocracia a qual se dedicou, denominada pelo autor de iluminista, encerra neste diálogo com Diderot toda a sua crença sobre o que ela entendia como poder cego quando este ressaltou seu poder ilimitado , no que ela lhe deu esta brilhante resposta:"Não é tão fácil como você imagina. Em primeiro lugar, minhas ordens não seriam cumpridas se fossem ordens que não pudessem ser cumpridas. Você sabe com que prudência e circunspecção eu ajo na promulgação das leis. Examino as circunstâncias,peço conselhos,consulto a parte esclarecida do povo e assim descubro o efeito que a lei terá. Quando estou certa de que terei boa aprovação, só então dou as ordens e tenho prazer de observar o que você chama de obediência cega. Esta
é base do poder ilimitado.Mas creia-me, não obedeceriam cegamente se as ordens não fossem adaptadas à opinião geral".

Sobre a obra em si eis o que diz a editora: Catarina, a Grande – Retrato de uma mulher é, antes de tudo, a história de uma pessoa solitária, que nunca gozou de afeto e amizade e, mesmo assim e por isso mesmo, viveu para amar e ser amada, sentimento sublimado pela adoção da Rússia como objeto de seu amor maior, e que teve como reflexos sua modernização – educacional e cultural – e expansão territorial, nos 34 anos em que governou, colocando-a como uma das maiores potências europeias do século XIX. O livro de Robert K. Massie traça um retrato da vida pessoal e pública de Catarina, com referências às próprias memórias da imperatriz e perfis de personagens importantes em sua vida, como a imperatriz Elizabeth, da Rússia, e seu amante e auxiliar Gregório Potemkin.

7 de abril de 2013

Sobre o Ser Poeta


É poeta todo aquele que transforma a alma do ser num palco onde cantam, dançam e encenam todas as palavras que fazem do sentir um êxtase de pura contemplação.

8 de março de 2013

16 de fevereiro de 2013

"Prosseguir, naturalmente."




A vida sinaliza caminhos polifurcados no tocante as escolhas, o que certamente nos traz incertezas sobre qual caminho seguir.

Não tomar uma decisão é dos caminhos escolhidos o pior, pois certamente nos levará a estagnação e na inércia permanecemos sem movimentar a energia que se estabelece juntamente com o marasmo.

Optar pela decisão que de alguma forma nos impulsiona a ir em frente, é um balizador que nos indica que esta é a escolha mais assertiva.

O fato é que tentar vem a ser o meio mais sólido para se conseguir chegar a algum lugar. Assim escrito parece óbvio, mas nem sempre o é.

Muitos são os exemplos que conhecemos de grandes personalidades que por muitas vezes se viram em encruzilhadas ou acabaram com a sensação de não sair do lugar e até mesmo vontade de desistir.

Alberto Santos Dumont em suas experiências ainda com balões esféricos descrevia estas como:

- "Achava-me só, perdido nas nuvens, entre relâmpagos e ruídos de trovões, e a noite se fechava em torno de mim".

Quantas vezes não nos sentimos assim ante as vicissitudes da vida? Sejam bem vindos, pois isso acontece com todos em um ou vários momentos da vida, não importa o estágio em que nos encontremos.

Em outra passagem interessante de suas narrativas, Santos Dumont descreve:

- "Eu ia, ia, nas trevas. Sabia que avançava a grande velocidade, mas não sentia nenhum movimento. Ouvia e recebia a procela, e era só. Tinha consciência de um grande perigo, mas este não era tangível. Uma espécie de alegria selvagem dominava os meus nervos. Como explicar isto? Como descrevê-lo? Lá no alto, na solidão negra, entre os relâmpagos que a rasgavam, entre o ruído dos raios, eu me sentia como parte da própria tempestade!".

Acolher a procela dentro de si e suas consequências com maestria, sendo você acima de tudo o seu próprio mestre é gesto de grande plenitude perante os aprendizados que a vida nos proporciona. Livre da energia da influencia do outro nem sempre benéfica, escolhemos e assumimos nós qual o caminho a seguir, não desmerecendo a opinião amiga que é elemento saudável para parametrizar nossas decisões.

É preciso ter muita lucidez para estarmos no olho do furacão e não perdermos o norte de nossa bússola, mas se silenciarmos na penumbra do nosso íntimo, ouviremos a resposta a partir da voz divina que há em cada um.

E para finalizar vejam a beleza da resposta de Santos Dumont, que deixo aqui como reflexão para os momentos de dúvidas, e da mesma forma que ele após os inúmeros incidentes vivenciados, vamos dar à vida e ao agir a mesma resposta, simples e sábia, que ele dava quando alguém o indagava o que fazer ante suas imensas tentativas nem sempre bem sucedidas:
"Prosseguir, naturalmente."

Assim seja!

12 de fevereiro de 2013

Sobre os Contrários

Admiro profundamente quem detém com elegância a sabedoria do argumento e o respeito aos contrários, e em sendo assim é bom demais ter o Pe. Fábio de Melo como porta voz de afirmações como essas, “O mundo só vai ter solução no dia que a gente descobrir que, antes das nossas denominações religiosas, nós somos pessoas, com sonhos, esperanças e que o mundo vai ficar mais bonito, à medida em que, mesmo rezando em templos diferentes, depois do templo, a gente possa comer no mesmo restaurante.” Eis mais uma dia para nos autoconhecermos e buscar as transformações que contribuem realmente para um mundo melhor.

11 de fevereiro de 2013

Dos Movimentos da Alma

Existem movimentos na vida que para a alma são impensáveis, num outro instante a alma contempla e vem a dúvida, e neste segundo momento tudo parece impossível, e num terceiro momento ao vermos o impensável e o impossível realizados , a alma pondera e finalmente diz é inacreditável! Clivânia Teixeira

8 de janeiro de 2013

DICA DE LIVRO - José e Pilar, Conversas Inéditas


Definitivamente eu estou entre os apreciadores do José Saramago e tenho especial atenção e admiração com tudo o que escreve e que tive o prazer de ler até então. Não foi diferente com a leitura de José e Pilar, Conversas Inéditas. Aqui presenciamos o José e a Pilar,personalidades fascinantes discorrendo sobre temas corriqueiros da vida com posicionamentos bem firmados e incomuns. Ditos numa forma linear sem esse lado lúdico que permeia a escrita de fantasia. Percebe-se sobretudo uma exposição de quem é o Saramago, dito por ele, dito por Pilar.Das afirmativas que marquei, registro esta de autoria do Josê: Não importa, não importa, não importa que tu digas a verdade se essa verdade tua vai contra as mentiras socialmente aceitas.